Análise de Michiko to Hatchin

28 01 2009

Anteontem, dia 26/01, eu havia postado sobre um anime que usa o Brasil como cenário. Você pode ler a postagem clicando aqui.

Pesquisei mais um pouco a respeito, e achei a abertura ndo anime no youtube. O nome da música é “Paraíso”. Vejam:

Até que eu gostei. Ao ouvir, lembrei do Sexteto do Programa do Jô. (xD)

Cavei mais fundo, onde achei também o download link para download do primeiro episódio. Então, eu assisti, terminei, e pensei: Mas o que é isso??? (Já aviso que a partir daqui, há spoilers.)

O anime começa com uma mulher fugindo da cadeia, já rolando um samba e tiroteio. (Quem será essa mulher?) Depois, mostra como é a vida de Hana, uma menina adotada, tratada como uma escrava na casa onde mora. Agora, o que é de deixar o queixo caído: o pai adotivo dela é um PADRE CASADO! E tem mais dois filhos que acabam com a vida da coitada. No final, vem, pela janela, uma mulher de moto, dizendo que veio buscar a filha dela, Hana. Sim, é a mesma mulher que fugiu da cadeia. (Isso não lhe é familiar?)

Os nomes das lojas, livros, etc, aparecem em português mesmo. Até o nome dos personagens são brasileiros. E, pelo que fiquei sabendo, ele mudaram o nome da moeda para Arca. E, em momento algum, não declaram que o ambiente é brasileiro (embora saibamos que é).

Se quiser assistir e tirar suas próprias conclusões, o link é: http://www.4shared.com/file/82750989/7eb13e02/Michiko_to_Hatchin_01.html

Não é necessário baixar, dá pra assistir no próprio site. E, quando terminar, comente aqui; dê sua opinião.

Anúncios

Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: